Notícias

22 de abril - Dia Mundial da Terra

23|04|2020

22 DE ABRIL – DIA MUNDIAL DA TERRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PADRE JOÃO COELHO CABANITA, DE LOULÉ, DESENVOLVE PROJETO DA HORTA À MESA

Neste dia 22 de Abril, Dia Mundial da Terra, o Agrupamento de Escolas Padre João Coelho Cabanita associa-se ao movimento “Um Minuto de Silêncio de Gratidão à Terra” dando a conhecer a toda a Comunidade Educativa o Projeto “Da Horta à Mesa”, desenvolvido ao longo de todo o ano letivo de 2019/2020, como exemplo de bem criar a natureza, cuidando do nosso Planeta.

O cultivo de uma horta pedagógica constitui uma atividade saudável que proporciona equilíbrio, saúde e bem-estar, tanto ao nível físico, como psicológico e social. Uma horta constitui uma forma lúdica e participativa de obter alimentos sãos. As plantas requerem uma dedicação regular e um compromisso pessoal, constituindo uma ferramenta educativa para transmitir a noção da responsabilidade de cuidar de um ser vivo.

No decorrer do presente ano letivo, o Agrupamento Padre João Coelho Cabanita, de Loulé, disponibilizou aos alunos dos Jardins-de-Infância (JI) um projeto denominado “Da Horta à Mesa”. Este projeto, que terá continuidade no próximo ano letivo, foi dinamizado pelos alunos dos Cursos de Educação e Formação de Jardinagem e Espaços Verdes e de Manutenção de Campos de Golfe. Estes alunos deslocaram-se com regularidade aos JI do Agrupamento executando todas as tarefas inerentes à instalação e manutenção das hortas, em estrita colaboração com os alunos dos JI do Agrupamento e educadoras.

Projetos deste âmbito, e este em particular, surgem da necessidade de os alunos dos JI conhecerem a origem dos alimentos que servem de base à sua alimentação, relacioná-los com a atividade rural, contactarem com a natureza, terem consciência dos alimentos produzidos em cada época do ano e desenvolverem as faculdades física e motora no uso de ferramentas agrícolas valorizando, assim, as atividades manuais e promovendo o seu sentido estético.

Este projeto dá oportunidade aos alunos dos JI de aprenderem a cultivar plantas e a identificá-las. Acompanhando o ciclo das plantas hortícolas e as respetivas operações culturais, da sementeira à colheita, estes alunos de tenra idade desenvolvem o sentido da responsabilidade, ao cuidar e preservar o trabalho por si executado.

O projeto “Da Horta à Mesa” tem incutido também nos alunos dos JI a importância da reciclagem na horta. Reciclando a parte orgânica dos resíduos da horta, os alunos dos JI começam a expressar a palavra compostagem. Descobrem a sua importância para o ambiente e para o aumento da fertilidade do solo.

Em articulação com a componente prática da horta, em sala de aula, as crianças dos JI têm oportunidade de expressar, através do desenho, a sua visão do trabalho executado. Estes desenhos têm-se mostrado fundamentais na revelação de sentimentos e no desenvolvimento do sentido de observação, na distinção de variedades de cores e formas.

Como foi referido, os trabalhos nas hortas são dinamizados por alunos mais velhos, com idades compreendidas entre os quinze e os dezasseis anos de idade. Esta interação social também tem sido enriquecedora para estes alunos e importante na obtenção de aprendizagens significativas. Ao partilhar os seus saberes, estes alunos adquirem estatuto de preponderância neste projeto, elevam a auto estima, valorizam as suas aprendizagens e desenvolvem sentimentos de confiança e segurança.

O projeto “Da Horta à Mesa” está inserido num projeto de maior dimensão, de âmbito nacional, denominado de AgroEscolas, iniciativa da CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal, da revista Fórum Estudante e com o apoio da Direção Geral da Educação. O Agrupamento de Escolas Padre João Coelho Cabanita aderiu à primeira edição do projeto-piloto AgroEscolas, após o desafio lançado pelos organizadores da iniciativa. Os organizadores consideram que o Agrupamento se destaca pelas práticas de “promoção e divulgação do setor agrícola, bem como, pela integração das mesmas no projeto educativo e plano curricular”(p.1). O projeto-piloto AgroEscolas tem como objetivos promover a educação e “o aumento da literacia agronómica”, contribuir “para uma maior consciencialização da importância da agricultura” e estimular “a participação e envolvimento de toda a comunidade escolar na prossecução destes objetivos” 1 (p.1-2). Estes objetivos encaixam na perfeição no projeto “Da Horta à Mesa”!

1CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal & Fórum Estudante (2019). AgroEscolas. Regulamento. 1-2.

Alberto Joaquim Marques Vitória

Pedro Miguel de Jesus Louro

(Professores da EB 2,3 Padre João Coelho Cabanita)

 

Deixe aqui o seu comentário


* Campos obrigatórios

< voltar